Consultores,

Membros da comunidade ABRACEM compartilharam suas experiências num projeto de planejamento estratégico que estimulam uma interessante reflexão sobre os métodos utilizados em projetos de consultoria.

Imbuídos para entregar a melhor qualidade, muitos consultores utilizam os modelos mais robustos e sofisticados que possuem. Quando isto ocorre, muitos clientes não estão aptos para entender e participar da realização do projeto.

Acreditamos que esta forma de atuar gera esforço adicional ao consultor, pois ele obrigatoriamente trabalhará sem os “braços” do cliente nas atividades operacionais. O gerenciamento da mudança e implantação também serão impactados, pois demandarão mais esclarecimentos e em muitos casos ceticismo quanto a eficácia de proposta apresentada.

O projeto referencia deste artigo foi realizado na área de saúde onde os participantes do grupo de trabalho eram empresários de pequenas e médias empresas, gerentes e especialistas. Dentre os especialistas participaram médicos, enfermeiros, profissionais que não cursaram administração e não conhecem os conceitos básicos de gestão de empresas.

A lição aprendida com este projeto confirma as práticas propostas nos treinamento da ABRACEM: privilegiar a visão do todo e engajar o cliente é o que gera o melhor resultado. Os grupos de trabalho heterogêneos têm grande eficácia quando o consultor domina e aplica práticas colaborativas nos projetos.

A foto abaixo é uma amostra do produto gerado pela equipe de projetos:

Experiencia

 

Rogério Nunes
Consultor e Partner da ABRACEM