Trata-se do III Coaching Day para mulheres, sob o tema “O Poder Em Suas Mãos”, onde são propostas atividades de imersão para fazer as participantes despertarem para o empoderamento e libertarem-se de crenças que as limitam

Para auxiliar mulheres a resgatarem a sua autoestima, cinco especialistas – entre psicólogas e administradoras – criaram um programa de coaching especialmente voltado para o público feminino. Trata-se do III Coaching Day para mulheres, sob o tema “O Poder Em Suas Mãos”, onde são propostas atividades de imersão para fazer as participantes despertarem para o empoderamento e libertarem-se de crenças que as limitam.

Em cada edição do evento – que dura de 8h às 18h, são colocadas novas ferramentas para a imersão na proposta de ajuda, segundo a psicóloga e coaching Fabíola Pedraça, uma das cinco criadoras do evento. “Isso é tão bacana que outras participam bastante com a gente nas outras edições. Falamos de relacionamento, na questão das famílias, das jornadas duplas de trabalho e da importância de cuidar de si”, destaca ela.

Para repassar as atividades do coaching é feito um grupo por WhatsApp, por onde os encaminhamentos são direcionados. “Na última edição pedimos para elas entregarem o mural da vida extraordinária, onde elas falavam sobre os sonhos que elas gostariam de alcançar”, pondera Fabíola. Mas a maior parte das tarefas do projeto é presencial mesmo, o que é fundamental para a compreensão.

“Há os sonhos que estavam engavetados, e o coaching funciona como se tirasse a venda dos olhos para o mundo”, coloca a também psicóloga e coaching Telma Cunha. Segundo ela, no evento, as mulheres podem definir o que desejam e são auxiliadas, pelas profissionais, a encontrar o passo a passo para chegarem onde desejam.

Planejamento

E, para chegar ao lugar desejado, é preciso planejar todo o “operacional” da estrada a se seguir. “Várias moças não sabiam como empreender, por exemplo. Colocavam muitos obstáculos na hora de abrir uma empresa. Geralmente as pessoas abrem a empresa e só depois vão estudar o negócio. O que muitas não sabem é que o correto é primeiro estudar o negócio, para depois abrir a empresa”, explica Telma.

A baixa autoestima, na maioria das vezes, é o que impede as mulheres de perseguirem seus sonhos. Fabíola justifica que o grande responsável por minimizar o amor próprio das moças são os traumas, de inúmeras ordens, vivenciados no passado. Com isso, o evento trabalha com técnicas que fazem aflorar a sensibilidade. “E o que acontece quando há a sensibilidade? Há o processo de cura, porque a moça põe aquilo para fora e vê que o sol continua brilhando”, salienta Fabíola.

“Quando elas vivem o coaching, mudam o corte de cabelo, se soltam. No coaching há uma dinâmica em que colocamos cada moça de frente para o espelho e vamos falando várias situações que elas tinham medo de expor. Falamos para elas se perdoarem e se permitirem”, diz Pedraça, lembrando que o contato que fazem umas com as outras fortifica cada mulher. “Uma acaba induzindo a outra porque a fragilidade de uma é parecida com a outra. Então elas veem que não estão sozinhas”, comenta Fabíola.

Raízes

Como se trata de um programa exclusivamente voltado para as mulheres, é inevitável que o machismo vivenciado em casa ou no trabalho seja um dos motivos que fazem parte das participantes do projeto terem a fé em si abalada. Com o processo de imersão, muitas não chegam a especificar com detalhes a situação opressora, mas as psicólogas acreditam que muitos desses problemas possuem raiz no lar.

“Por conta disso, algumas não acham saída. Algumas estão numa relação onde não veem saída. Percebemos a autoestima muito abalada, aquela emoção deixa transparecer. É aí que falamos de amor próprio, falamos que são mulheres inteligentes”, declara Telma. “Algumas perguntam quando o evento será feito para casais, porque queriam que os maridos estivessem lá”, completa Telma.

(Fonte: A critica)