Me chamo Rosso, sou pai, esposo e trabalho em uma multinacional americana como especialista em soluções. Não posso deixar de mencionar a Consultoria que possuo (www.chefigo.com.br), fruto da minha impetuosidade de me comunicar, compartilhar e ajudar outras pessoas nas suas jornadas.

Hoje a inovação é um assunto que está em muitas empresas, mas vamos olhar um outro lado que talvez não prestemos muita atenção, que é como ser um líder servidor para viabilizar a inovação e a criatividade.

Neste momento respondo algumas perguntas para vocês poderem me conhecer melhor, exploro e questiono as estruturas matriciais tradicionais, que engessam toda e qualquer manifestação criativa que tente surgir.

Minha proposta é te ajudar como co-criador de sua própria linha de pensamento, mostrando um lado que talvez ainda não tenha analisado com a mesma ótica, afinal de contas: “Cada pessoa enxerga com os óculos que tem”. Não é mesmo?

Esse papo vai longe, então deixem-me focar mostrando o que penso sobre isso em uma boa explanação de perguntas e respostas sobre liderança, inovação e criatividade. 

Que ações você já viu líderes adotando para facilitar a criatividade e a inovação?

Durante minha vida profissional e acadêmica não tive muitos exemplos de líderes adotando ações que facilitem a criatividade e a inovação, e olha que já sou “rodado” com meus 44 anos. Apesar das empresas que trabalhei serem fabricantes de tecnologia e consultoria a estrutura que encontrei sempre foram muito engessadas e burocráticas, com superiores que "gerenciavam" usando o poder em uma estrutura hierárquica muito forte. Não tenho como chamar estas pessoas de líderes, pois dependiam de um poder concedido devido ao cargo para obter resultado. 

Lembro dos exemplos que me fizeram pensar a respeito de como facilitar a criatividade e a inovação. Com base no que funciona para mim mesmo. A liberdade de poder ser você mesmo é na minha opinião o ponto mais importante. Tive alguns exemplos na minha jornada de líderes que me deixavam trabalhar sem pressão, pois meu compromisso era entregar o resultado. Isso funcionou muito bem e me mantem motivado no dia a dia do trabalho. Outro exemplo foi o de ter líderes questionadores, sem julgamento, que me faziam pensar e a encontrar alternativas para os problemas existentes. 

Na minha vida profissional que possui mais de 20 anos de experiência em empresas multinacionais de tecnologia e Consultoria, posso afirmar que tive por volta de quinze superiores diretos e encontrei apenas três deles que possuem a consciência de liderança que acredito ser a mais benéfica para extrairmos o melhor dos colaboradores, incentivando a criatividade e a inovação.


Que ações tomadas por líderes podem dificultar a criatividade e a inovação e, até mesmo, destruí-las? 

Felizmente eu já vivenciei muitas situações em que os líderes dificultavam a criatividade e a inovação. Na verdade, líderes tóxicos causam problemas por onde passam, usam o poder e o julgamento para direcionar e gerenciar as equipes, focando nos seus próprios interesses, acreditando que seus subordinados são pessoas incapazes e dependentes deles para executarem suas tarefas. Estes líderes tóxicos não colaboram, não desenvolvem seus subordinados e não criam um ambiente propício para a criatividade e inovação. Além de criar um ambiente de trabalho nocivo e nada saudável para os colaboradores.

A criatividade e a inovação são elementos valorizados pelos líderes de sua empresa? Em outras palavras, estas qualidades fazem que as pessoas ascendam de seus cargos à liderança?

Sim, são possíveis, mas não são comuns de acontecer, as pessoas costumam ficar muito tempo nos seus cargos, por outro lado alguns líderes que existem hoje estão preocupados em criar e manter um ambiente saudável de trabalho, que inspire, seja produtivo, inclusivo e sustentável. O ambiente é propício para criatividade e inovação e os líderes sempre devem estar dispostos a discutir e a auxiliar o processo criativo e de inovação, sendo ela de processos, produtos, ou outra que possa beneficiar os colaboradores da empresa, mercado ou comunidade.

Finalizando...

A meu ver a criatividade e a inovação são skills nativos do ser humano, mas precisamos trabalhar muito bem para o seu desbloqueio, pois em muitos casos ficam “envergonhados” pelas respostas que tivemos em nossas experimentações no decorrer do crescimento de nossas vidas. O ponto de partida, o mais difícil, mas também que corresponde a mais da metade dessa jornada chama-se MEDO: Medo de ser julgado, Medo de não ser aceito, Medo de não ser autêntico.


Luiz Henrique Rosso

.

.